``O meu super poder é dar o melhor de mim à minha família e profissão, independentemente dos desafios que a vida me dá``

É bonita, talentosa, lutadora e dona de um estilo muito próprio quer em palco quer na sua vida pessoal. A sua voz é inconfundível e uma das mais aclamadas vozes da nova geração do fado.

Maria Isabel Roseta, mais conhecida por Cuca Roseta, é uma verdadeira inspiração. Para além da sua enorme paixão pelo fado, pratica ioga, é cinturão negro de taekondo e adora dança e pintura.

A verdade é que nada na vida de Cuca Roseta deixava prever o fado que um dia a iria escolher. Não havia na família antecedentes fadistas e o género musical mais ouvido na sua casa era a música erudita. Até que, aos 18 anos, vai a uma casa de fados. Primeiro embate, primeira pequena invasão na alma de Cuca Roseta: se o fado ainda não a seduzia por completo, começou a precisar dele para a vida: «Ia às casas de fado mais pelo lado emocional, era muito intenso».

Começou a cantar, timidamente. Uma vez, um ouvinte especial percebeu na sua voz a verdade que começava a saber dizer. Era Carlos Zel, que insistiu: «Tens de aprender mais fados». Ela prometeu que o iria fazer.